Para determinar a aptidão de um candidato à cirurgia bariátrica, diferentes aspectos da vida do paciente são avaliados pelos nossos psicólogos especialistas. Dentre os fatores psicossociais merecedores de atenção, os mais citados são: compreensão do paciente quanto à operação e as mudanças de estilo de vida necessárias; expectativas quando aos resultados; habilidade de aderir às recomendações operatórias; comportamento alimentar (histórico de peso, dietas, exercício físico); comorbidades psiquiátricas (atuais e prévias); motivos para realizar o procedimento cirúrgico; suporte social; uso de substâncias; status socioeconômico; satisfação conjugal; funcionamento cognitivo; autoestima; histórico de trauma/abuso; qualidade de vida e ideação suicida. Contudo, nem todos os candidatos são considerados psicologicamente aptos, existindo alguns impedimentos para esta operação. Um estudo realizado com 194 profissionais de saúde mental nos Estados Unidos listou “problemas psiquiátricos” como sendo a principal contraindicação para a operação, apontada por 91.2% dos respondentes. Dentre os principais problemas desta categoria estavam: uso/abuso/dependência de substâncias, transtornos alimentares, transtornos psicóticos, depressão e suicídio. Além das contraindicações mencionadas anteriormente, outros fatores que podem adiar ou indeferir a operação envolvem: falta de compreensão quanto aos riscos, benefícios e resultados do procedimento cirúrgico; resistência em aderir às recomendações pós-operatórias; retardo mental severo; múltiplas tentativas de suicídio ou tentativa de suicídio recente; sintomas ativos de transtorno obsessivo-compulsivo e de transtorno bipolar; estressores de vida severos e uso de nicotina. Mesmo que o avaliado se encontre inapto a princípio, trabalhamos clinicamente com os resultados encontrados para que ele venha se encontrar apto e realizar sua determinação no futuro.