Diariamente somos submetidos a avaliações, a juízo de valores. Dentro do processo de recrutamento e seleção, mesmo que o candidato não esteja efetivamente sendo avaliado por um teste específico, desde o momento em que se inicia o processo, o mesmo se encontra em constante processo avaliativo. Essa deve se constituir a premissa básica do processo de recrutamento e seleção de pessoas. O psicólogo surge nesse processo como um profissional com o instrumental necessário para essa tarefa. As empresas estão cada vez mais criteriosas com relação ao recrutamento e seleção de pessoal para o provimento de seu quadro de efetivos. Além dos custos envolvidos nessa tarefa, o que elas buscam, na impossibilidade de encontrar profissionais já preparados, é utilizar processos de seleção eficientes na mensuração das capacidades e aptidões dos candidatos; visando lapidar suas potencialidades e adequá-las aos objetivos estratégicos da organização, que é o que faz a Ação Positiva. Basicamente é como a escolha do homem certo para o cargo certo, ou, mais amplamente entre os candidatos recrutados para um processo seletivo, aqueles mais adequados aos cargos existentes da organização visando manter ou aumentar a eficiência e o desempenho no quadro de pessoal. O papel primordial dos nossos selecionadores de pessoal são: garantir enquanto estratégia de gestão de Recursos Humanos, a eficiência das atividades mediadas por organismos dentro das organizações mantendo ou elevando a produtividade via seleção de perfil psicológico.