O vazio é uma sensação de falta que sentimos em alguns ou vários momentos da vida. É uma sensação que as pessoas não gostam de sentir. Uma das formas mais utilizadas para não entrar em contato com esse sentimento é entupir a vida de atividades e atribuições. Muitas vezes, é isso que dá origem aos workholics, ou viciados em trabalho. E também àqueles que vivem sobrecarregados de alguma forma porque as 24horas do dia não suprem a necessidade de tantas coisas que “precisam fazer”.

São aquelas pessoas que buscam um movimento na sua vida, tipicamente de forma exagerada. Aquelas pessoas que somam atividades de trabalho, de casa, de obrigações familiares e/ou sociais, não têm tempo para parar, respirar e ficar consigo. Aliás, ficar consigo é algo que os deixam deprimidos e os faz perceber aspectos de suas vidas que lhes desagradam mais do que gostariam. Logo que esse sentimento aperta o coração, tornando-se consciente, a pessoa busca ignorá-lo e volta a sua busca incessante por fazer algo, achando que aí se encontra a melhor solução.

No entanto, o sentimento de vazio é apenas uma sinalização da alma, um pedido de socorro. Tentar ignorar essa voz interior na verdade é postergar uma solução e intensificar um problema. O sentimento de vazio pode ser apenas considerado um termômetro para dizer que algo não vai bem. Uma febre precisa ser tratada para não virar uma doença crônica.

Nosso imediatismo não nos permite ver com clareza o que a  “febre” quer nos falar. A febre muitas vezes vem nos pedir mudanças, mudanças não só de comportamentos. Precisamos mudar a nossa capacidade de perceber a nós mesmos e as nossas necessidades. Precisamos aprender a nos ouvir sem medo e buscar uma solução para os nossos anseios e para que o vazio não tome conta.

Só há uma forma de preencher um vazio: preenchê-lo da coisa certa. Nosso maior erro é tentar preencher o vazio com algo que não o preenche. Se estamos com sede de água, não é bebendo refrigerante que atenderemos as nossas necessidades físicas. Pode até parecer que sim, mas no fundo é só uma ilusão e o vazio continua gritando dentro da gente.

Dê voz ao seu vazio, descubra o que ele quer lhe dizer. Lembre-se que estará acertando quando ele parar de gritar e você estiver se sentindo inteiro. O primeiro passo é ser honesto com você mesmo.

Fernanda Sampaio Paranhos
CRP – DF 11694

Psicóloga e Neuropsicóloga, Psicodramatista, Terapeuta Sexual, palestrante, especialista em Brainspotting e EMDR